terça-feira, 6 de março de 2018

Cortes cegos!

O discurso dos governantes portugueses é neste últimos anos de que o país saiu da crise económica e que o caminho é de recuperação.
No entanto todos os dias os cidadãos recorrem aos mais diversos serviços da administração  e percebem que o aparelho do estado apresenta várias falhas muitas deles devidas ao garrote financeiro a que estão sujeitas. 
Nos anos que o país esteve sob resgate os cortes foram feitos de forma generalizada porque o que importava era poupar.
Agora que a troyka se foi embora importa passar-se a ideia de que já não são feitos cortes e que os resultados da economia são reflexo das politicas seguidas.
Mas será mesmo assim? Será que os cortes cegos não foram substituídos pelas famosas cativações?
A atualidade noticiosa do dia de hoje fica marcada pela detenção do assessor jurídico do Benfica, o advogado Paulo Gonçalves.


Se no tempo do resgate e da troyka o setor da justiça foi abalado pelo corte generalizado e pela famosa reorganização do mapa judiciário, nos tempos atuais que muitos querem chamar de retoma, o mesmo setor é abalado diariamente pela falta de funcionários, pela falta de meios técnicos, pela degradação das instalações resultante do desinvestimento e falta de manutenção.
E para que esta degradação do aparelho judicial salte aos olhos de todos  basta que o destino se encarregue de criar as famosas coincidências...
Imaginemos que esta manhã a Polícia Judiciária não tinha viaturas disponíveis para transportar os inspetores para as buscas ...as mesmas não se poderiam realizar.
Tal não aconteceu, mas o que poucos sabem é que a escassez de meios no aparelho do estado levou a que a operação "e-toupeira" levasse um rumo diferente do planeado!


O Tanque dos Patos sabe, de fonte credível, que o facto do navio de pavilhão espanhol "Betanzos" ter encalhado junto ao Bugio por volta da uma da manhã desta terça-feira, levou a uma mudança drástica na operação "e-toupeira".
O incidente com o navio espanhol à saída da barra do Tejo implicou a mobilização dos rebocadores disponíveis no porto de Lisboa, levando assim à inesperada mudança do alvo das buscas e da consequente detenção.
O Tanque dos Patos sabe que não era Paulo Gonçalves o principal alvo da Polícia Judiciária, mas sim Pedro Guerra e que a detenção do mesmo só não aconteceu por falta de rebocadores...

Sem comentários:

Enviar um comentário