terça-feira, 20 de março de 2018

A saudade e o apego!

Desde que Portugal deu novos mundos ao mundo, o aventureiro povo Lusitano demonstrou a sua faceta de emigrante.
Em tempos idos era a franja da sociedade menos instruída que emigrava, sujeitando-se muitas vezes a trabalhos e tarefas que eram recusadas pelas pessoas do país de acolhimento.


Atualmente a nova vaga de emigração é maioritariamente caracterizada por jovens, com formação superior que procura emprego na área para a qual estudou anos a fio!
Tendo em conta os dados veiculados pela ONU, cerca de 2,3 milhões de portugueses residem fora do país...ou seja 22% da nossa população é emigrante!
Independentemente da formação, da atividade desempenhada ou do país de destino, uma coisa une os portugueses: o apego e a saudade de Portugal!
Ainda ontem o nosso emigrante mais conhecido apelava à valorização dos portugueses e ao orgulho do que é nosso!
Há coisas que são só nossas : o Fado e a Saudade!
E muitas das vezes esse apego tão nosso manifesta-se mesmo quando apenas somos migrantes.
Quem de nós nunca teve de passar algum tempo longe da sua terra por motivos profissionais?
E é nessas alturas que esse apego à terra vem ao de cima...


Vejamos por exemplo a deputada socialista Sónia Fertuzinhos: apesar de viver em Lisboa, recebe da Assembleia da República o subsidio de deslocação para Guimarães onde tem as suas raízes...


Ou Feliciano Barreiras Duarte, vizinho de Fertuzinhos na avenida de Roma em Lisboa, mas que recebeu entre 1999 e 2009 o subsidio de deslocação para o Bombarral, onde residem os seus pais...
É isto que faz de nós um povo único : a saudade e o apego às nossas origens! Mesmo que isso apenas se consiga materializar nuns insignificantes subsídios de umas centenas de euros, mas que nos ajudam todos os dias a lembrar as nossas origens! 

Sem comentários:

Enviar um comentário