domingo, 7 de janeiro de 2018

Orçamento do Estado, estabilidade?

Desde ontem que quase toda a gente fala sobre o "Orçamento do Estado".
Mas afinal o que é o Orçamento do Estado?



Segundo o livro "Economia de Finanças Públicas" o orçamento do estado é o documento, apresentado sob a forma de lei, que comporta uma descrição detalhada de todas as receitas e de todas as despesas do Estado, propostas pelo Governo e autorizadas pela Assembleia da República, e antecipadamente previstas para um horizonte temporal de um ano.
Para melhor entendimento, o Orçamento do Estado é aquilo que cada um paga ao Estado  para que o mesmo possa repartir, direta ou indiretamente por todos... Falamos de muitos euros!


Claro que os mais entendidos vão falar de "cenário macroeconómico", de "grandes opções do plano", de "estabilidade fiscal" ou de "eleitoralismo"...
Um documento tão importante e que mexe com o bolso de todos nós, estranho seria agradar a todos...mesmo que fosse o orçamento ideal, uns não iam gostar porque a capa era demasiado alaranjada, outros porque a capa era rosa, outros porque o texto era alinhado à direita, outros porque o texto estava centrado e outros não iriam gostar por o texto ter alinhamento à esquerda!
E claro, se agradasse a todos, o que iam fazer os políticos?
Mas o Estado tem imensas formas de garantir que a economia do país funcione. 
E para que a economia funcione é necessário que o tecido empresarial crie riqueza, necessitando para tal de estabilidade.
Muitos podem perguntar de que forma se pode garantir estabilidade a uma empresa que depende daquilo que tem para oferecer ao mercado.
Mas para termos uma resposta, basta pensarmos que o sistema de justiça português garante a imensas empresas a estabilidade durante pelo menos uma dezena de anos. 
Ainda em 2013 o sistema de justiça lançou um produto, a Operação Marquês, que garantirá a existência de um grande grupo empresarial até pelo menos 2025...



Sem comentários:

Enviar um comentário