domingo, 7 de janeiro de 2018

Oh raio... e agora?

Infelizmente a atualidade do nosso Portugal está marcada de há uns meses para cá pela tragédia dos incêndios florestais. Este ano bateram-se recordes de área ardida e muito mais grave que isso, bateram-se tristes recordes de vítimas humanas!



Enquanto uns choram os familiares e as poupanças de uma vida perdidas, os especialistas em tudo (este ano são especialistas em incêndios, o ano passado eram especialistas em "mental coaching", em em 2015 eram especialistas em mercados financeiros...), jornalistas e políticos em geral discutem se a culpa foi do vento, se foi da seca, se foi do pastor, se foi do Zé que herdou um pinhal há 15 anos mas que ainda não sabe bem onde fica...
Tudo se discute, todos apontam falhas mas muito poucos apontam soluções...
Ainda bem que há quem siga os conselhos de políticos com caráter e tenha rezado para que chovesse...e a bendita chuva veio acalmar os fogos florestais...
Mas quando quase todos pensam que as coisas se estão a resolver com as diversas "arrumações" de políticos e dirigentes é que as coisas se podem voltar a complicar!


Primeiro demitiu-se o Comandante Nacional da Proteção  Civil...


Parece que também se demitiu o Secretário de Estado da Administração Interna...


Demitiu-se a Ministra da Administração Interna...


Demitiu-se o presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil...
Numa altura em que o Instituto Português do Mar e da Atmosfera avisa que as temperaturas altas voltam dentro de alguns dias, começo a ficar preocupado...
Já pensaram se quem nomeou na década de 80  seu Ministro da Agricultura um engenheiro de uma reputada empresa de celulose resolve desaparecer?
Já pensaram se quem acabou com o Corpo da Guarda Florestal e  integrou os Guardas Florestais na Guarda Nacional Republicana se demite?
Já pensaram se quem liberalizou a plantação  de eucalipto e impediu a entrada em vigor do Código Florestal se demite?
Já pensaram se os Presidentes de Câmara que não elaboraram o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, ou que depois de o elaborarem  nada fizeram para que o mesmo fosse cumprido se demitem?
Já pensaram se os Comandantes das forças policiais que lançaram para o terreno patrulhas de vigilância à floresta, mas que nunca saíram do alcatrão, se demitem?
Já pensaram se os juízes que libertaram incendiários confessos se demitem?
Já pensaram se os Comandantes Distritais de Operações e Socorro, os Comandantes de corporações de Bombeiros ou os responsáveis municipais de Proteção Civil que no dia a seguir aos incêndios ainda não tinham aberto o correio eletrónico com o alerta para as condições climatéricas favoráveis à ocorrência de incêndios, se demitem?
Já pensaram? Pois...eu pensei e cheguei a esta conclusão : E agora? Se há um incêndio quem é que vai pegar nas mangueiras?

Sem comentários:

Enviar um comentário