segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Mão de obra qualificada

Nesta altura do ano em que se fala muito sobre "Orçamento do Estado" um dos temas sempre abordados por políticos, sindicatos, empresários e público em geral é o "salário mínimo nacional". 
Temos que admitir que o salário mínimo no nosso país é baixo, mas também temos que admitir que os trabalhadores portugueses são dos menos habilitados e menos qualificados tecnicamente.
Embora mesmo trabalhadores com elevadas qualificações sejam mal pagos em Portugal, temos que concordar que ajudaria a elevar a fasquia salarial do país. 
Ser mais habilitado não é sinónimo de mais competência, porém o mercado de trabalho tende a pagar mais a pessoal qualificado e menos a quem não tem qualquer qualificação. 

Muitas vezes associamos a construção civil a homens rudes, pouco qualificados e que lançam piriopos a qualquer mulher que passe na rua.
Mas não é bem assim, um profissional da construção civil mesmo com poucas habilitações literárias, é um profissional com uma grande capacidade técnica e com uma enorme qualificação profissional.
Embora muita gente não o saiba há muito operário da construção civil a ganhar mais do que alguns licenciados.
Mesmo assim há falta de mão de obra neste setor.


E não é só de operários a falta na construção civil, também faltam engenheiros civis.
Pouco tempo depois de muitos portugueses terem emigrado à procura de trabalho, somos surpreendidos com estas notícias.
Não irá demorar muito para que os salários no setor da construção subam ou uma vaga de imigração venha ocupar de forma mais barata o ramo.
No entanto somos um país de contrastes: temos falta de engenheiros civis...


Mas descartamos aqueles que com muito esforço até ao domingo foram fazer exames para alcançar a licenciatura! 
Às vezes não entendo esta gente...

Sem comentários:

Enviar um comentário