segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Lesados do sistema bancário

O sistema bancário português tem-se revelado um dos pontos fracos da nossa ecónomia.
Falências, resoluções por parte do estado e negócios menos claros são já coisas quase banais no dia a dia dos portugueses.
Tendo em conta o passado recente irei expor alguns dos casos mais mediáticos.

BPP


O caso do Banco Privado Português veio à tona em finais de 2008, quando a Moody's agrava a avaliação de risco do banco.
Alguns dias depois o BPP tenta a garantia estatal para a contração de um empréstimo de 750 milhões de euros. A garantia foi negada pelo Banco de Portugal, João Rendeiro demite-se e o BPP esfuma-se.
Centenas de lesados perdem quase tudo!

BPN 


O Banco Português de Negócios nasceu em 1993. Resultado da fusão de algumas sociedades financeiras, foi criado com a vocação de banco de investimento.
Em 2002 compra o Banco Insular de Cabo Verde, ocultando no entanto a compra ao regulador.
Em Outubro de 2008 o BPN recorre a um empréstimo de 200 milhões de euros para enfrentar problemas de liquidez...
Em Novembro de 2008 o BPN é nacionalizado porque o Banco de Portugal descobriu que afinal o BPN era o dono do Banco Insular e que este servia para esconder um buraco de 700 milhões de euros...ainda hoje todos os portugueses continuam a ser lesados!

BES


O Banco Espírito Santo é basicamente um negócio de família.  
O principio do fim começa com a operação "Monte Branco"  que investigava ilícitos fiscais. Na sequência da mesma, Ricardo Salgado corrige a declaração de IRS em 2012 por três vezes por esquecimento da declaração de alguns milhões de euros...
Uma investigação do Banco de Portugal concluída em 2014 revela que o Banco estava falido.
O esquema de pagar aos clientes mais antigos com o dinheiro dos mais recentes atingiu o limite.
O estado aprova a resolução do BES criando assim mais uns milhares de lesados...por sorte ninguém da família Espírito Santo é prejudicado!

BANIF



O Banco Internacional do Funchal é criado em 1988 por uma equipa liderada por Horácio Roque.
A partir daí a instituição começa crescer no setor da banca e seguros, tornando-se o banco de referência para a grande comunidade madeirense emigrada na África do Sul e na Venezuela.
Em Maio de 2010 morre Horácio Roque.
Em 2012 a luta pela herança entre a ex-mulher de Horácio Roque e as filhas deste chega a tribunal.
Em 31 de Dezembro desse ano o estado injeta 1100 milhões de euros passando a controlar o BANIF.
Em Dezembro de 2015 o Banco de Portugal anuncia a venda do BANIF ao Santader por 150 milhões de euros...contribuintes e clientes mais uma vez são lesados!

Diretor bancário de Oliveira de Azeméis 


O diretor bancário de Oliveira de Azeméis envolve-se com uma acompanhante de luxo.
Durante três anos mantém uma relação com a mesma, tornando-se padrinho da mesma!
Para garantir a exclusividade o mesmo dá à afilhada 10 mil euros por mês, uma vivenda em Gondomar, um automóvel Mercedes SLK e uma loja no centro comercial Colombo!
A relação termina e a afilhada descobre que nenhum dos presentes está registado em seu nome mas sim em nome do padrinho...
Mais uma lesada do sistema bancário!
À semelhança dos outros lesados avançou com uma ação judicial e o advogado da afilhada diz que "quem come paga"!
Mas Dr. Aníbal, o senhor ainda acredita em bancários?

Sem comentários:

Enviar um comentário