segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Consanguinidade

Algumas vezes ouvimos falar de consanguinidade, ou seja do acasalamento de indivíduos de determinada espécie com algum grau de parentesco.


É comum ouvir-se a pastores, proprietários de grandes rebanhos, que não existe nenhum problema no cruzamento entre ovelhas que sejam pai e filha ou irmãs.
Alguns até defendem que tal cruzamento pode servir para aproveitar as melhores caraterísticas genéticas do rebanho.
No entanto há cientistas que, mesmo com uma melhoria aparente por exemplo na produção de leite, defendem que esse cruzamento entre parentes irá trazer graves prejuízos em termos de reprodução e consequentemente em produção de carne.


Falando por exemplo de cães, a consanguinidade pode ter consequências más nas crias que daí resultem.
As ninhadas resultantes do cruzamento entre parentes pode trazer à tona determinadas doenças recessivas de cada uma das raças.
Também os seres humanos sofrem com as consequências da consanguinidade.
Quem nunca ouviu contar histórias  de casamentos entre primos direitos em que os filhos resultantes da relação padeciam de algumas doenças, nomeadamente do foro psiquiátrico?
Por incrível que pareça era uma situação muito comum dentro da nobreza em que os casamentos por acordo e por interesse levava a alianças celebradas entre famílias com ascendência comum! 
Ricardo Araújo Pereira até dizia em jeito de piada que a maioria dos Reis que reinaram em Portugal eram "Tantans" por serem filhos de primos.


Será que depois de todos os problemas que já afetaram o reinado de Isabel II, depois de tanta escolha que o rapaz teve, depois do brexit, Inglaterra irá ter utm problema de consanguinidade? 

Sem comentários:

Enviar um comentário