domingo, 7 de janeiro de 2018

Casa de Ferreiro, Espeto de Pau!

Quem nunca ouviu o adágio "Casa de ferreiro, espeto de pau"?


Mas o que significa este ditado popular? Se uns atribuem o significado de que nenhum profissional ser bom em causa própria, outros atribuem o significado de que tudo o que é produto da atividade profissional é para gerar lucro, logo o espeto de ferro vende-se e em casa fica o de pau!
Muito se pode discutir sobre o alcance deste provérbio, no entanto a maioria atribui ao mesmo um sentido negativo.
Cada vez que dizemos isto a alguém, estamos a dizer-lhe com as letras todas que alguma coisa em que era suposto não falhar, falhou redondamente.
Mas será sempre assim?
E se o ferreiro se chamar Ricardo do Espírito Santo Silva Salgado (DDT para os mais chegados) ?


Este ilustre ferreiro durante anos a fio fabricou e vendeu muitos espetos de ferro...
Ele fabricou "Papel Comercial", "Depósitos a Prazo", "Fundos de Investimento", "Créditos", "Planos Poupança Reforma" entre muitos outros espetos do mesmo calibre...
Mas ao que parece a forja deixou de funcionar, a oficina fechou e quem tinha comprado lá os espetos ficou a arder!
E neste caso, o espeto de pau do ferreiro foi o que melhor aconteceu na vida deste senhor...


Ontem soube-se que a parca pensão de cerca de 39000 € que Ricardo Salgado aufere, paga pelo fundo de pensões do BES (era esta a oficina onde o ferreiro tinha a forja), foi arrestada para garantir o pagamento de eventuais indemnizações aos que adquiriram os espetos...
E nisto é que está o lado positivo do espeto lá da casa ser de pau... É que a pensão de Ricardo Salgado, à semelhança dos salários que auferiu, sempre foram pagos com o dinheiro dos compradores de espetos.
A meu ver, seria bem mais útil arrestar o colchão do senhor...
Serei só eu a achar que o Ricardo DDT Salgado não comprava espetos da sua loja?

Sem comentários:

Enviar um comentário