segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Alfabetização

Já neste blog se abordou o tema das habilitações literárias e da relação direta das mesmas com a qualificação profissional. 
Numa altura em que os parceiros sociais debatem a subida do Salário Mínimo Nacional, um dos fatores a ter em conta é a qualificação da generalidade dos trabalhadores portugueses e facilmente se percebe que a maioria da população que recebe o SMN tem habilitações literárias correspondentes ao nível de ensino obrigatório ou até inferiores. 


Se analisarmos este gráfico da Pordata, podemos verificar que entre 1970 e 2011 a população analfabeta baixou de 1 795 210 pessoas para 499 936 pessoas em 2011.
Mas será aceitável um país que se diz desenvolvido ter em pleno século XXI ter quase meio milhão de cidadãos analfabetos?
Claro que não é aceitável, no entanto a responsabilidade não pode apenas ser imputada ao Estado, muitos são os casos em que as famílias impedem, pelos mais diversos fatores, de frequentar a escola e preparar assim um futuro melhor.
Mas também fatores culturais contribuem para isso.


Se observamos o exemplo Japonês facilmente descobrimos as diferenças com o exemplo português.
Enquanto uns vão à escola...


Outros vão à praia...é tudo uma questão de prioridades...

Sem comentários:

Enviar um comentário